Os benefícios das caronas vão além do que se vê

De acordo com o relatório do IPCC de 2018, a estabilização do aquecimento global a 1,5 ° C requer a redução de 45% das emissões de CO2 até 2030. A Humanidade tem apenas 11 anos para fazer mudanças massivas e sem precedentes em todos os setores, incluindo transporte.

Com a chegada do Dia Mundial do Meio Ambiente, é hora de refletir: o que fazemos de fato no nosso dia a dia para sermos mais sustentáveis? Você já parou para pensar na quantidade de poluentes que emitimos nos deslocamentos diários ou mesmo nos passeios de final de semana? Não é questão de culpa, mas de consciência social.

No Brasil, as rodovias representam 58% de todo transporte feito no país. Nos carros de passeio, a taxa de ocupação média é de menos de duas pessoas. Ou seja, a maioria dos carros tem pelo menos três lugares deixados vazios. Isso é um desperdício inaceitável! 
Em um mundo de crescentes populações e aspirações de viagens, aumentar a eficiência das viagens por estrada pode ter um impacto positivo significativo na mobilidade e no meio ambiente. É aí que entram as caronas.

Mas afinal, qual é a real economia de poluentes? Dá para medir

Parece óbvio o impacto ambiental das caronas. De fato é. Afinal, mais pessoas dividindo, menos carros nas ruas. Mas faltavam medições. Mas um estudo inédito da BlaBlaCar, plataforma francesa de caronas que dirijo no país,   se debruçou na sua base e no comportamento de seus usuários para entender o real impacto do seu negócio no meio ambiente. Junto com uma consultoria especializada (Le Bipe), chegamos a algumas conclusões interessantes. 

Depois de analisar dados reais de uso da BlaBlaCar durante 12 meses, e pesquisar 6.884 membros da BlaBlaCar em oito países, vemos que as caronas fizeram com que o número de pessoas por carro dobrasse (de 1,9 para 3,9 pessoas). Com isso, 1,6 milhão de toneladas de CO2 deixaram de ser emitidas para a atmosfera em 2018.

Quero que nossa plataforma impacte e mude a vida de cada vez mais pessoas. Acordo todos os dias com a missão de levar essa tecnologia a mais pessoas. Hoje, são mais de 3 milhões no Brasil. Com a ajuda de todos, podemos ser a mudança que pedimos. Fazer nossa parte para salvar o planeta.

Minha história com as caronas e a revolução da mobilidade


Vou começar me apresentando: sou diretor no Brasil da BlaBlaCar, uma plataforma de caronas intermunicipais que nasceu na França e hoje está presente em 22 países. Fomos apresentados aos brasileiros no final de 2015 e já batemos a marca de 3 milhões de usuários no país desde que chegamos. Nossa missão? Conectar motoristas com lugares vazios em seus carros a passageiros indo para o mesmo lugar. Viajando juntos, os usuários dividem os custos da viagem e também experiências. Somos populares no Vale da Paraíba, com muitas viagens entre as principais cidades da região – como São José dos Campos, Caraguatatuba, Taubaté, Guaratinguetá – para São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro e outros destinos. São José dos Campos, por sinal, está entre as dez cidades do Brasil com mais caronas na BlaBlaCar.

Coincidentemente, minha relação com as caronas começou aqui mesmo, em S. José dos Campos, mais especificamente no ITA, onde me formei engenheiro de computação há dez anos. No último ano da faculdade muitos de nós fazíamos estágio em São Paulo, mas nem todos tinham carro. Aliás, até hoje não tenho. Era comum combinarmos caronas e dividirmos os custos da viagem, só que nem sempre os horários de motorista e passageiros coincidiam. Numa época em que as redes sociais ainda não tinham o poder de hoje, o mural da faculdade não dava conta de conectar tanta gente, desequilibrando a relação: de um lado, motoristas viajando com lugares vazios no carro, e absorvendo todo o gasto com combustível e pedágio; de outro, passageiros sem carona.

Bastaria observar a Rodovia Presidente Dutra por alguns minutos – com a  maioria dos carros rodando apenas com o motorista, sem passageiros – para concluir que essa ineficiência não era restrita à nossa faculdade. Endereçar essa ineficiência e com isso gerar impactos econômicos, sociais e ambientais é o objetivo de vida da BlaBlaCar.

A boa notícia é que não estamos sozinhos nessa. A mobilidade de passageiros, no contexto urbano e interurbano, está passando por uma revolução: caronas, bicicletas compartilhadas, carros autônomos… são todos manifestações do mesmo fenômeno. Deslocar-se entre o ponto A e ponto B está se tornando mais barato, rápido e sustentável.

É sobre essa revolução da mobilidade e alguns de seus ângulos, como tecnologia, negócios, empreendedorismo, políticas públicas, comportamento e sustentabilidade, que pretendo escrever neste espaço. Espero que possamos aprender juntos nessa jornada. Até o próximo texto!